Programa Nacional de Vigilância da Gripe – Relatório da época 2022/2023

20-10-2023

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) divulga o relatório anual do Programa Nacional de Vigilância da Gripe e de Outros Vírus Respiratórios (PNVG). A presente publicação, apresentada no âmbito da 9.ª Reunião da Vigilância Epidemiológica da Gripe em Portugal, realizada dia 17 de outubro, em Lisboa, descreve a caraterização clínica e laboratorial da atividade gripal na época 2022/2023.

O PNVG assegura a vigilância epidemiológica da gripe em Portugal, integrando as componentes de vigilância clínica e laboratorial. A componente clínica possibilita o cálculo de taxas de incidência permitindo descrever a intensidade e evolução da epidemia no tempo. A componente virológica tem por base o diagnóstico laboratorial do vírus da gripe, SARS-CoV-2 e vírus sincicial respiratório (RSV) o que permite detetar e caraterizar os vírus respiratórios em circulação em cada inverno.

As atividades do PNVG são desenvolvidas pelo Laboratório Nacional de Referência para o Vírus da Gripe e Outros Vírus Respiratórios do Departamento de Doenças Infeciosas e pelo Departamento de Epidemiologia do INSA, em colaboração com a Direção-Geral da Saúde.

Da descrição da atividade gripal no inverno de 2022/2023 agora apresentada, destacam-se os seguintes resultados:

  • Na época 2022/2023 a atividade gripal foi de baixa intensidade, tendo sido verificada a epidemia de gripe mais precoce ocorrida nas últimas épocas;
  • O vírus da gripe A(H3) foi o predominante durante o período epidémico, tendo sido detetados em cocirculação os vírus da gripe A(H1)pdm09 e do tipo B;
  • A análise virológica demonstrou que os vírus da gripe circulantes eram na sua maioria semelhantes aos vírus que integraram a vacina de 2022/2023. A análise do genoma viral mostrou alguma diversidade genética nos vírus em circulação;
  • Os vírus SARS-CoV-2 pertenciam na sua maioria à linhagem BA.5 e XBB;
  • Foi nas crianças entre os 5 e os 14 anos que se detetou a maior percentagem de casos de gripe (33%), seguidas dos jovens e adultos entre os 15 e os 29 anos (26%);
  • Observou-se um excesso de mortalidade de cerca de 1959 óbitos, no período coincidente com a epidemia de gripe e de frio extremo;
  • A taxa de admissão de casos confirmados de gripe em UCI registou o valor máximo nas semanas 47/2022 e 10/2023. O vírus influenza tipo A foi identificado na quase totalidade dos casos.

Os resultados obtidos no relatório constituem informação útil para a orientação e planeamento de medidas de prevenção e controlo da gripe, SARS-CoV-2, RSV e de outros vírus respiratórios de forma precisa. Para consultar o Relatório PNVG 2022/2023, clique aqui.

imagem do post do Programa Nacional de Vigilância da Gripe – Relatório da época 2022/2023