Instituto Ricardo Jorge publica boletim intercalar de vigilância da gripe e outros vírus respiratórios

21-07-2021

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) divulgou um Boletim intercalar de Vigilância Epidemiológica da Gripe e outros Vírus Respiratórios, relativo à semana 27 (05-11 julho). Esta publicação, realizada fora dos períodos formais de vigilância, justifica-se pela alteração da situação epidemiológica, que reflete atualmente um aumento das infeções respiratórias.

Entre 5 e 11 de julho, observou-se um acréscimo das infeções respiratórias, em especial por Picornavirus e Vírus Sincicial Respiratório. Esta tendência tem sido observada nas últimas semanas mas, apesar deste aumento, não foram identificados vírus da gripe em circulação, sendo que a evolução da situação será acompanhada nas próximas semanas, durante as quais será também publicado o Boletim de vigilância da gripe e de outros vírus respiratórios.

A vigilância da gripe e de outros vírus respiratórios é feita durante todo o ano, sendo o boletim de vigilância publicado semanalmente entre outubro e maio, por ser a época de habitual circulação destes agentes. Durante os meses de verão é feita a publicação de boletins intercalares, ou seja, entre os períodos formais de vigilância, se houver alguma alteração da situação epidemiológica.

Coordenado pelo INSA, o Programa Nacional de Vigilância da Gripe (PNVG) tem como principais objetivos identificar os vírus da gripe e outros vírus respiratórios em circulação no território nacional, assim como monitorizar a evolução da atividade epidémica da gripe e caracterizar genética e antigenicamente os vírus da gripe. As atividades do PNVG são desenvolvidas pelo Laboratório Nacional de Referência para o Vírus da Gripe e Outros Vírus Respiratórios do Departamento de Doenças Infeciosas e pelo Departamento de Epidemiologia do INSA, em colaboração com a Direção-Geral da Saúde.

Este programa, que se inicia no princípio de outubro e termina em maio do ano seguinte, integra as componentes clínica e laboratorial da vigilância. A primeira é constituída pelas taxas de incidência da síndroma gripal, estimadas através da notificação dos novos casos da doença ocorridos nas listas de utentes dos médicos participantes na Rede Médicos-Sentinela e identificados segundo critérios exclusivamente clínicos. A segunda é obtida através da identificação dos vírus isolados em amostras respiratórias (exsudados nasofaríngeos) recolhidos nos utentes identificados como tendo síndroma gripal, quer nas Redes Sentinelas, como na Rede Portuguesa de Laboratórios para o Diagnóstico da Gripe Esta última época (2020/21), dadas as alterações no atendimento de doentes com infeções respiratórias, o PNVG passou a integrar também a Rede Sentinela de Áreas de Atendimento a Doentes Respiratórios.

Parte da informação, provisória, obtida através deste programa, é enviada semanalmente para a ECDC – WHO/Europe Joint Surveillance, de forma a permitir, juntamente com a informação enviada por mais de 40 países, a descrição da atividade gripal na Europa e, ainda, identificar precocemente eventuais surtos de gripe nos países participantes. Esta informação está semanalmente disponível no Boletim Flunews Europe (https://flunewseurope.org/).
A publicação da informação é efetuada semanalmente, à quinta-feira, no Boletim da Vigilância Epidemiológica da Gripe, sendo que o primeiro Boletim da época 2021/22 será publicado no dia 8 de outubro.

imagem do post do Instituto Ricardo Jorge publica boletim intercalar de vigilância da gripe e outros vírus respiratórios