Instituto Ricardo Jorge participa em reunião de lançamento de projeto europeu de partilha de dados genómicos

18-11-2022

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), através do seu Departamento de Promoção da Saúde e Prevenção de Doenças Não-Transmissíveis, participou, dias 17 e 18 de novembro, em Bruxelas, na reunião de lançamento da European Genomic Data Infrastructure (GDI), um novo projeto da União Europeia (UE) para desbloquear a possibilidade da aplicação da genómica humana na saúde, investigação e inovação.

Alicerçado na atividade preparatória desenvolvida pelos dois grupos de trabalho “1+MG” e do projeto “B1MG”, nos quais o INSA também participa, o projeto GDI reúne 20 Estados-membros da UE com as organizações de infraestruturas Biobanking and Biomolecular Resources Research Infrastructure (BBMRI) e European Molecular Biology Laboratory (EMBL) com o objetivo de apoiar a visão da Iniciativa 1+MG para proporcionar melhores cuidados de saúde aos cidadãos europeus, permitindo o acesso e a partilha de cerca de um milhão de genomas e respetivos dados clínicos.

Com um valor global de cerca de 40 milhões de euros, cofinanciado pela Comissão Europeia no âmbito do Programa Europa Digital e pelos Estados-membros participantes, este novo projeto é coordenado pela European Life-science Infrastructure for Biological Information (ELIXIR). A coordenadora do GDI e chefe da equipa do ELIXIR – Human Genomics and Translational Data,  Serena Scollen, vê como fundamental a existência de uma infraestrutura para os dados genómicos, sublinhando que, em breve, será “rotineiro requisitar genomas no âmbito dos cuidados de saúde”.

A responsável por este novo projeto europeu considera ainda que “a falta de infraestruturas necessárias para apoiar a descoberta, acesso, partilha e análise de dados genómicos humanos em grande escala” é “um dos maiores desafios a ultrapassar”, pelo que apenas “trabalhando juntos, os países poderão implantar uma infraestrutura para facilitar o acesso seguro a dados entre os países participantes”, com benefício para “os cidadãos europeus e de todo o mundo”.

O GDI é um projeto europeu que visa desbloquear o acesso a uma mega rede de dados de genomas humanos para servir de referência clínica e para investigação, criando novas oportunidades de desenvolvimento de atividades de cooperação entre os vários países em medicina personalizada, aplicáveis às doenças comuns, raras e infeciosas. Os utilizadores autorizados dos dados tais como médicos, investigadores e inovadores, poderão expandir o seu conhecimento da genómica para tomada de decisões clínicas, diagnósticos, tratamentos e medicina preditiva mais precisos e rápidos, e para melhorar as medidas de saúde pública para benefício os cidadãos europeus, sistemas de saúde e a economia em geral.

imagem do post do Instituto Ricardo Jorge participa em reunião de lançamento de projeto europeu de partilha de dados genómicos