Estudo de impacto de medidas restritivas no combate à COVID-19 do Instituto Ricardo Jorge publicado na revista científica Eurosurveillance

14-06-2022

A revista científica Eurosurveillance acaba de publicar o estudo “Impact of stringent non-pharmaceutical interventions applied during the second and third COVID-19 epidemic waves in Portugal, 9 November 2020 to 10 February 2021: an ecological study”, da autoria do Departamento de Epidemiologia (DEP) do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA). O trabalho avaliou o impacto de medidas restritivas aplicadas durante a segunda e terceira vagas da pandemia de COVID-19 em Portugal, na redução da incidência da doença.

Disponível na edição de 9 de junho da revista do Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC, na sigla inglesa), este estudo ecológico  foi realizado pelos investigadores do INSA no âmbito do combate à pandemia e utilizou informação sobre o número diário de casos de COVID-19 para estimar mudanças na taxa de incidência diária durante os períodos entre 9 de novembro e 18 de dezembro de 2020 (recolher obrigatório de fim-de-semana em concelhos de risco elevado), 15 e 21 de janeiro de 2021 (confinamento geral sem fecho de escolas) e 22 de janeiro a 10 de fevereiro de 2021 (confinamento geral com fecho de escolas).

De acordo com os resultados obtidos, observou-se, após a aplicação de medidas restritivas, um decréscimo na taxa de incidência de COVID-19 de -1,9%, -3,4% e -10,3% por dia, em cada um dos respetivos períodos de tempo, o que sugere que as medidas restritivas aplicadas durante a segunda onda epidémica conseguiram reverter a tendência crescente no número de infeções de COVID-19, ainda que com um efeito menos pronunciado quando comparadas com as utilizadas na terceira vaga. O confinamento geral sem fecho de escolas foi eficaz em reduzir a incidência de COVID-19, mas o impacto mais acentuado foi observado após o fecho das escolas.

Segundo os especialistas do INSA, as conclusões deste trabalho reforçam  a importância de decisões atempadas e assertivas para o controlo da pandemia de COVID-19 em Portugal. Da autoria de Ana Rita Torres, Ana Paula Rodrigues, Mafalda Sousa-Uva, Irina Kislaya, Susana Silva, Liliana Antunes, Carlos Dias e Baltazar Nunes, o artigo “Impact of stringent non-pharmaceutical interventions applied during the second and third COVID-19 epidemic waves in Portugal, 9 November 2020 to 10 February 2021: an ecological study” encontra disponível aqui.

imagem do post do Estudo de impacto de medidas restritivas no combate à COVID-19 do Instituto Ricardo Jorge publicado na revista científica Eurosurveillance