COVID-19: Atualizada Estratégia Nacional de Testes

14-01-2022

A Direção-Geral da Saúde (DGS) atualizou a Norma 019/2020 com o objetivo de adaptar a Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2 à necessidade de reforço de medidas de saúde pública, atendendo à atual situação epidemiológica e à identificação de novas variantes de preocupação, com maior potencial de transmissibilidade. As alterações entraram em vigor dia 12 de janeiro e procedem à revisão dos critérios de testagem em vários contextos.

Para o diagnóstico da COVID-19 em pessoas sintomáticas com suspeita de infeção por SARS-CoV-2, nos termos da Norma 004/2020 da DGS, independentemente do estado vacinal, devem ser utilizados teste rápido de antigénio de uso profissional (TRAg), preferencialmente, nos primeiros 5 dias (inclusive) de sintomas, ou teste de amplificação de ácidos nucleicos (TAAN). A recomendação é válida para doentes sem critério de internamento, com indicação para vigilância clínica e isolamento no domicílio, bem como para doentes com critério de internamento (antes do internamento).

Ainda de acordo com o novo documento, para o diagnóstico de COVID-19 em contactos de alto risco com caso confirmado de COVID-19, nos termos da Norma 015/2020 da DGS, e independentemente do estado vacinal, devem ser utilizados TAAN realizado o mais precocemente possível e até ao 3.º dia após a data da última exposição ao caso confirmado e ao 7º dia após essa exposição (se assintomático e com o primeiro teste negativo), ou TRAg, nas mesmas condições.

Os resultados positivos nos autotestes realizados para rastreio de infeção por SARS-CoV-2 devem ser confirmados por novo teste laboratorial, de forma a garantir a implementação de medidas de Saúde Pública adequadas e proporcionais, nomeadamente a realização de TAAN num prazo de 24 horas, assumindo-se o resultado obtido no TAAN como válido, ou TRAg num prazo de 24 horas, assumindo-se o resultado obtido no TRAg como válido.

Os visitantes a Estruturas Residenciais para Idosos (ERPI), sem dose de reforço após esquema vacinal primário, devem realizar testes de rastreio da infeção por SARS-CoV-2, nomeadamente TRAg realizado 48 horas antes do início da visita, ou teste rápido de antigénio na modalidade de autoteste (colheita nasal), nos termos da Circular Informativa Conjunta 011/DGS/INFARMED/INSA/100.20.200, ou ainda TAAN, tais como RT-PCR, RT-PCR em tempo real ou teste molecular rápido, até 72 horas antes da visita.

imagem do post do COVID-19: Atualizada Estratégia Nacional de Testes