Testes rápidos (testes “point of care”) de rastreio de infeções por VIH, VHC e VHB

05-09-2018

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge colaborou na elaboração do normativo técnico e organizacional para operacionalizar a realização dos testes rápidos (testes point of care) de rastreio de infeções por VIH, VHC e VHB nas farmácias comunitárias e laboratórios de patologia clínica/análises clínicas. Os documentos em questão estabelecem os requisitos técnicos e os procedimentos a adoptar para a realização destes testes.

A elaboração deste normativo técnico e organizacional decorre do Despacho n.º 2522/2018, publicado dia 12 de março em Diário da República e que autoriza a realização de testes rápidos (testes point of care) de rastreio de infeções por VIH, VHC e VHB nas farmácias comunitárias e nos laboratórios de patologia clínica/análises clínicas. Além do Instituto Ricardo Jorge, participaram na elaboração da informação agora disponibilizada a Direção-Geral da Saúde (DGS), a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) e os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS).

“As farmácias comunitárias e os laboratórios de patologia clínica/análises clínicas são parceiros fundamentais dos serviços de saúde, dado o seu carácter de proximidade e serem detentores da confiança dos cidadãos. A sua colaboração no âmbito do rastreio e orientação para as respostas especializadas do Serviço Nacional de Saúde, pode constituir um fator relevante para o sucesso da resposta à infeção por VIH, VHB e VHC”, refere o diploma assinado, dia 1 de março, pelo secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, e pela secretária de Estado da Saúde, Rosa Valente de Matos.

A aposta no diagnóstico precoce da infeção por VIH tem sido uma prioridade do Programa de Saúde Prioritário para a Infeção VIH e SIDA. Embora se verifique, a partir do ano 2000, uma tendência decrescente no número anual de novos diagnósticos de infeção por VIH, a taxa anual de novos diagnósticos em Portugal mantém-se das mais elevadas na União Europeia, com uma elevada proporção de diagnósticos tardios.

Em 2015, o European Centre for Disease Prevention and Control (ECDC) apontava para prevalências estimadas das infeções por VHB e VHC na União Europeia de 0,9 % e 1,1 %, respetivamente, com um total estimado de 4,7 milhões de infeções crónicas por VHB e 5,6 milhões por VHC.

Para consultar toda a documentação sobre a realização de testes rápidos de rastreio de infeções por VIH, VHC e VHB em farmácias comunitárias e laboratórios de patologia clínica/análises clínicas, clique aqui.

imagem do post do Testes rápidos (testes “point of care”) de rastreio de infeções por VIH, VHC e VHB