Seminário Ricardo Jorge “Vírus West Nile: Abordagem One Health para garantir a eficácia da vigilância”

29-11-2019

“Vírus West Nile: Abordagem One Health para garantir a eficácia da vigilância” é o título do próximo Seminário Ricardo Jorge, que terá lugar dia 12 de dezembro (14:30), em Lisboa, no auditório do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge. A iniciativa contará com a participação de Miguel Fevereiro (Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária) e José Poças (Centro Hospitalar de Setúbal) e será moderado por Maria João Alves e Sofia Núncio, investigadoras do Centro de Estudos de Vetores e Doenças Infeciosas do INSA.

Com entrada livre mediante inscrição prévia, o Seminário visa contribuir para a implementação do conceito One Health em Portugal. A abordagem One Health incentiva a colaboração de muitos especialistas e promove a comunicação interdisciplinar, nomeadamente entre laboratórios, médicos, veterinários e pode garantir a eficácia da vigilância e a prevenção de muitos casos.

O sinergismo entre os vários intervenientes permite o avanço dos cuidados de saúde para o século XXI, acelerando as descobertas de investigações biomédicas, melhorando a eficácia da saúde pública, expandindo rapidamente a base de conhecimento científico e melhorando a educação médica e os cuidados clínicos. Quando implementado adequadamente, esta estratégia ajuda a proteger e salvar milhões de vidas nas gerações presentes e futuras.

A febre de West Nile é uma doença zoonótica viral considerada atualmente um desafio à saúde pública devido à sua reemergência na Europa. O vírus West Nile mantém-se na natureza em ciclos enzoóticos que envolvem mosquitos, como vetores, e algumas espécies de aves como reservatório. Os humanos e equinos são hospedeiros acidentais sendo a transmissão feita sobretudo pela picada do mosquito, sendo, no entanto, já documentada a transmissão por transfusão de sangue e transplante de órgãos.

A infeção por WNV é, na Europa, de notificação obrigatória tanto para seres humanos como para os equinos. No ano de 2018 houve, na Europa, tantos casos humanos como nos sete anos anteriores e mais 30% de casos em equinos o que indicia uma forte influência do clima e de outras alterações ambientais. A vigilância de casos humanos pode impedir transmissões por doação de produtos de sangue e órgãos. As autoridades de saúde animal na Europa notificam também os casos de encefalomielite equina por vírus West Nile.

Os Seminários Ricardo Jorge têm como objetivo estimular a discussão sobre temas de interesse para as atividades do Instituto, para a ciência e para a saúde pública nacional e global. Promovidos pelo Conselho Científico do Instituto Ricardo Jorge, estes encontros pretendem ainda divulgar interna e externamente algum do trabalho desenvolvido, trazendo novas perspetivas, saberes e ideias que possam melhorar as atividades realizadas.

imagem do post do Seminário Ricardo Jorge “Vírus West Nile: Abordagem One Health para garantir a eficácia da vigilância”