Projeto do Instituto Ricardo Jorge vence Prémio Arnaldo Sampaio 2016

03-02-2017

O projeto de investigação GERIA – Estudo Geriátrico dos Efeitos na Saúde da Qualidade do Ar Interior em Lares da 3ª Idade de Portugal, coordenado pelo investigador João Paulo Teixeira do Instituto Ricardo Jorge e pelo Instituto de Saúde Pública do Porto, venceu o Prémio Arnaldo Sampaio 2016.

Financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, o GERIA (Geriatric Study in Portugal on Health Effects of Air Quality in Elderly Care Centers) foi desenvolvido em conjunto com o Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), a Faculdade de Ciência e Tecnologia (FCT-UNL) e a Nova Medical School (NMS-UNL). O estudo surgiu de uma parceria entre engenheiros, técnicos especialistas em qualidade do ar interior e técnicos de saúde visando contribuir para a criação de espaços mais saudáveis e a consequente melhoria da qualidade de vida dos idosos residentes em equipamentos residenciais para pessoas idosas (ERPI).

O GERIA avaliou a ventilação e a qualidade do ar interior em ERPI das cidades de Lisboa e do Porto, e o seu impacto na saúde respiratória dos idosos. A partir da identificação de fatores que afetam a saúde e a qualidade de vida dos residentes em ERPI, a quantificação da sua exposição a poluentes e a avaliação da resposta individual a estes estímulos, a equipa liderada por João Paulo Teixeira, investigador do Departamento de Saúde Ambiental do Instituto Ricardo Jorge (Porto), elaborou uma lista de recomendações sobre fatores que podem afetar a saúde e a qualidade de vida dos residentes em lares e que vão desde o arejamento, temperatura, poeiras, vapores, odores, até à limpeza, humidade e obras nestes estabelecimentos.

Abrir as janelas exteriores diariamente, evitar o uso de termoventilador ou manter a humidade relativa entre 25% e 55% são apenas algumas das recomendações propostas pelos responsáveis do projeto GERIA, que avaliou a ventilação e a qualidade do ar interior, e o seu impacto na saúde respiratória dos idosos, em 53 ERPI das cidades de Lisboa e do Porto. As avaliações da qualidade do ambiente interior aconteceram no período de inverno (novembro de 2013 a março de 2014) e no período de verão (abril a julho de 2014).

Coordenada por João Paulo Teixeira, a equipa de investigação do GERIA inclui ainda os seguintes investigadores do Instituto Ricardo Jorge: Ana Nogueira, Ana Sofia Mendes, Cristiana Costa Pereira, Diana Mendes, Fátima Aguiar, Lívia Aguiar, Luís Guimarães, Manuela Cano, Maria do Carmo Proença, Maria Paula Neves e Susana Pinho e Silva. Para mais informações sobre o GERIA, consultar o site do projeto.

O Prémio Arnaldo Sampaio foi instituido pela Associação Portuguesa para a Promoção da Saúde Pública com o intuito de homenagear a memória do Professor Arnaldo Sampaio, antigo diretor do Instituto Ricardo Jorge (1968- 1972), e incentivar a investigação no âmbito da Saúde Pública. A cerimónia de atribuição do prémio, que é patrocinado pela Fundação Calouste Gulbenkian, terá lugar no decurso do V Congresso Nacional de Saúde Pública, no próximo dia 16 de fevereiro no Porto.

imagem do post do Projeto do Instituto Ricardo Jorge vence Prémio Arnaldo Sampaio 2016