OUTUBRO 2014

15-10-2014

Pintura a óleo – Rainha D. Amélia e meninos – Nº de inventário: MS.PNT.00029

Ernesto Condeixa (1858-1933), 1900

Pintura a óleo representando a Rainha D. Amélia (1865-1951), de autoria do pintor Ernesto Ferreira Condeixa, artista que se notabilizou na pintura de cenas históricas e como retratista. Representa Sua Majestade coroada, envergando um vestido branco, com preciosa decoração de rendas douradas, e um manto azul. Encontra-se sentada em poltrona encimada pelas Armas de Portugal, rodeada de oito crianças, que procuram a proteção da Rainha. Organizacionalmente, a pintura apresenta D. Amélia ao centro, tendo, do lado direito da imagem, quatro crianças, em que uma delas lhe pega na mão. Junto do regaço da Rainha encontra-se uma criança, de costas, que lhe pede colo. No lado esquerdo da imagem, encontram-se mais três crianças, duas delas de costas, as quais lhe oferecem flores. Toda a cena remete para a ideia de proteção e de afeto e, simbolicamente, para a importante obra de benemerência que a monarca desenvolveu no que diz respeito à criação e apoio de instituições dedicadas aos cuidados infantis.

Pertence à Coleção da Tuberculose, a qual integra uma diversidade de tipologias de bens e que representa a luta travada contra a doença em Portugal, entre os finais do século XIX e as três primeiras décadas do século XX. O espólio pertencia à Assistência Nacional aos Tuberculosos (A.N.T.), instituição criada em 1899 por iniciativa da Rainha D. Amélia, a qual teve um papel fundamental no combate à doença que grassou em Portugal. A A.N.T. tinha como objetivo a prevenção e o tratamento da doença e, nesse contexto, criou hospitais para crianças tuberculosas e sanatórios de montanha. Foram, ainda, criados hospitais marítimos (Carcavelos e Parede) e dispensários para o tratamento de adultos e crianças infetadas.

imagem do post do OUTUBRO 2014