Investigadora do Instituto Ricardo Jorge eleita membro coordenador da rede europeia de laboratórios de referência para a Tuberculose

14-02-2020

Rita Macedo, responsável do Laboratório Nacional de Referência de Micobactérias do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, foi eleita membro coordenador da rede europeia de laboratórios de referência para a Tuberculose (ERLTB-Net, da sigla em inglês, European Reference Laboratories for TB Network), coordenada pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC). Fazem parte desta rede os laboratórios nacionais dos Estados-membros da União Europeia (UE) com funções de referência para o diagnóstico e vigilância molecular da tuberculose.

A escolha de Rita Macedo aconteceu, no passado dia 27 de janeiro, em Lisboa, durante a reunião anual da ERLTB-Net, após uma seleção entre os vários representantes e eleição pelos membros desta rede. Desta reunião resultaram também um conjunto de recomendações, que deverão ser adotadas no decorrer de 2020 por todos os Estados-membros, entre as quais a reestruturação das redes de laboratórios adequada à realidade epidemiológica de cada país e a introdução, no diagnóstico de rotina, de métodos baseados na metodologia de sequenciação do genoma completo (WGS).

O Instituto Ricardo Jorge, através do seu Laboratório Nacional de Referência de Micobactérias/Tuberculose, já tem implementado há mais de um ano, na sua rotina laboratorial, a utilização desta nova metodologia para a vigilância da tuberculose multirresistente. Além de permitir a deteção rápida de todas as mutações conhecidas associadas à resistência aos antibióticos, a introdução de métodos baseados em WGS possibilita ainda um melhor conhecimento das cadeias de transmissão desta doença, possibilitando a intervenção das Autoridades de Saúde de forma atempada e otimizada.

A implementação desta nova técnica, que teve em conta a exigência supranacional, a curto prazo, da substituição dos métodos tradicionais de genotipagem, garante uma maior rapidez, diminuição de custos e um maior poder discriminatório na caracterização das estirpes de Mycobacterium tuberculosis. A tecnologia de WGS possibilita também a redução em várias semanas da identificação dos perfis genéticos de resistência aos antibióticos, o que poderá ter importantes implicações ao nível do regime terapêutico administrado ao doente.

Licenciada em Bioquímica, mestre em Microbiologia Clínica e doutorada em Genómica Molecular, Rita Macedo é responsável do Laboratório Nacional de Referência de Micobactérias do Departamento de Doenças Infeciosas do Instituto Ricardo Jorge desde 2012, trabalhando na área da tuberculose desde 2003. É também consultora da Direção-Geral da Saúde (DGS) para a área laboratorial da tuberculose desde 2007 e membro da equipa do Programa Nacional de Luta contra a Tuberculose, da DGS, desde 2018.

Criada em 2010 pelo ECDC, a ERLTB-Net tem como objetivo apoiar os laboratórios de referência de forma a garantir a prestação de serviços de diagnóstico confiáveis e oportunos e o ECDC nas suas funções de alerta e resposta relacionadas com surtos de tuberculose. O ECDC é a agência da UE responsável por reforçar as defesas da Europa contra as doenças infeciosas, trabalhando em parceria com os organismos nacionais de proteção da saúde em toda a Europa, entre os quais o Instituto Ricardo Jorge.

imagem do post do Investigadora do Instituto Ricardo Jorge eleita membro coordenador da rede europeia de laboratórios de referência para a Tuberculose