Instituto Ricardo Jorge volta a ativar Sistema de Monitorização e Vigilância ÍCARO

03-05-2019

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, através do seu Departamento de Epidemiologia, voltou a ativar, dia 1 de maio, o Sistema de Monitorização e Vigilância ÍCARO, um instrumento de observação que estima o possível efeito do calor na mortalidade. Este sistema permite, assim, identificar períodos em que se espera um efeito negativo das temperaturas na saúde humana, possibilitando a implementação de medidas de proteção.

O Sistema ÍCARO é anualmente ativado, entre maio e setembro, através da produção diária de um boletim, partilhado com Autoridades de Saúde e outras entidades responsáveis pela decisão e prestação de cuidados à população. Este ano, o Boletim ÍCARO foi renovado, na sequência da avaliação da sua utilidade junto dos seus utilizadores.

Este sistema começou a ser desenvolvido em 1999, em parceria com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, então denominado Instituto de Meteorologia, e conta com a participação da Direção-Geral da Saúde e da Autoridade Nacional de Proteção Civil, fazendo parte integrante, desde 2004, do Plano de Contingência para Temperaturas Extremas Adversas. Atualmente, a informação deste sistema está também, resumidamente, disponível na plataforma Saúde Sazonal e designado “Plano Verão e Saúde”.

Ao longo dos anos, o Sistema ÍCARO tem permitido antecipar os efeitos de temperaturas extremas na mortalidade da população portuguesa, contribuindo decisivamente para a preparação que as autoridades de saúde promovem junto da população com o objetivo de a proteger e de minimizar os efeitos do calor na população mais vulnerável, em especial os idosos, as pessoas com doenças crónicas e as crianças. As situações de alerta, as medidas de contingência e a respetiva informação à população são disponibilizadas pela DGS e Administrações Regionais de Saúde.

imagem do post do Instituto Ricardo Jorge volta a ativar Sistema de Monitorização e Vigilância ÍCARO