Instituto Ricardo Jorge realiza estudo para avaliar exposição da população portuguesa a químicos ambientais

02-08-2019

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, através do seu Departamento de Epidemiologia, está a desenvolver um estudo para avaliar a exposição a químicos ambientais da população jovem adulta residente em Portugal. Os dados obtidos com este trabalho serão importantes para decisores das áreas da saúde e do ambiente planear, desenhar e avaliar medidas destinadas a minimizar a exposição a produtos químicos considerados perigosos.

Denominado de “INSEF-ExpoQuim”, o estudo visa caracterizar a exposição ambiental atual da população jovem adulta portuguesa (20-39 anos) a produtos químicos considerados prioritários, utilizando procedimentos que permitam a comparação com dados de outros países europeus e a utilização destes dados para produzir informação agregada a nível europeu.

Pretende-se igualmente contribuir para reduzir o impacto na saúde da população residente em Portugal resultante da exposição a químicos ambientais, através da produção de dados de alta qualidade sobre a exposição da população portuguesa, de forma a apoiar o desenvolvimento e implementação de medidas políticas destinadas a minimizar a exposição a produtos químicos perigosos.

Esta investigação encontra-se a ser desenvolvido no âmbito da Iniciativa Europeia de Biomonitorização Humana (HBM4EU), sendo um dos vários estudos que estão atualmente a ser desenvolvidos em vários países da União Europeia para avaliação da exposição em toda a Europa. O HBM4EU é um consórcio europeu que tem por objetivo utilizar a biomonitorização humana para avaliar a exposição humana a substâncias químicas, com vista a uma melhor compreensão dos seus efeitos na saúde bem como a melhoria da avaliação e gestão de risco das substâncias químicas.

A participação dos indivíduos convidados a colaborar neste trabalho de investigação consiste na disponibilização de uma amostra de urina onde serão medidos os químicos e em responder, por telefone, a algumas perguntas sobre a sua própria saúde. No total, serão abrangidos por este estudo cerca de 450 indivíduos, entre os 28 e os 39 anos, residentes em todo o território nacional, encontrando-se a recolha de dados a decorrer a nível nacional.

“Trata-se de uma oportunidade única de conhecer a exposição a químicos da população de uma forma rigorosa e assim contribuir para a redução da exposição da população, promovendo uma melhor qualidade de vida das gerações atuais e futuras. Nesta investigação estão a ser seguidos procedimentos internacionais que irão permitir comparar os resultados obtidos em Portugal com os resultados de outros países europeus”, explica a coordenadora do projeto, Sónia Namorado. Os resultados do estudo serão conhecidos no próximo ano.

Os participantes no INSEF-ExpoQuim poderão ter acesso aos seus resultados e a sua participação não terá qualquer custo. O estudo é desenvolvido pelo Instituto Ricardo Jorge, através do seu Departamento de Epidemiologia, em colaboração com as Administrações Regionais de Saúde e com as Secretarias Regionais da Saúde das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, sendo cofinanciado no âmbito da Iniciativa Europeia de Biomonitorização Humana (HBM4EU), financiado ao abrigo do programa europeu Horizonte 2020.

imagem do post do Instituto Ricardo Jorge realiza estudo para avaliar exposição da população portuguesa a químicos ambientais