Instituto Ricardo Jorge participa em projeto que desenvolve plataforma para vigilância de surtos de agentes patogénicos alimentares

30-11-2018

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge participou, ao longo dos últimos três anos, no consórcio internacional INNUENDO, do qual resultou, entre outros ganhos para a comunidade científica, o desenvolvimento de uma plataforma bioinformática para a vigilância epidemiológica e a investigação de surtos de agentes patogénicos alimentares. O Instituto Ricardo Jorge teve uma participação pluridisciplinar neste consórcio, através dos seus departamentos de Doenças Infeciosas (Laboratório Nacional de Referência das Infeções Gastrintestinais e Núcleo de Bioinformática), de Alimentação e Nutrição (Laboratório de Microbiologia) e de Genética Humana (Unidade de Tecnologia e Inovação).

Cofinanciado pela European Food Safety Authority (EFSA), pelo Governo do País Basco e pelas instituições participantes, o projeto INNUENDO (a cross-sectorial platform for the integration of genomics in surveillance of food-borne pathogens) visou criar um quadro intersetorial de integração da tecnologia de sequenciação total do genoma na vigilância e investigação epidemiológica de surtos de agentes patogénicos alimentares. O projeto, que teve início em 2016, incluiu organizações governamentais e institutos de investigação dos setores da saúde humana, alimentar e animal, da Finlândia, Áustria, Portugal, Comunidade Autónoma do País Basco, Estónia e Letónia.

A plataforma bioinformática desenvolvida no âmbito do consórcio, INNUENDO Platform V1.0, permiti realizar, de uma forma padronizada e integrada, todo o processo de análise e partilha de dados genómicos gerados pela sequenciação total de genomas bacterianos. O Instituto Ricardo Jorge foi a instituição responsável pelas atividades laboratoriais de WGS (Whole Genome Sequencing) do projeto INNUENDO, cujo relatório final se encontra publicado no site da EFSA e pode ser lido aqui. De Portugal, para além da participação do Instituto Ricardo Jorge, destaca-se a participação do grupo de bioinformática da Unidade de Microbiologia Molecular e Infeção do Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes da Faculdade de Medicina Universidade de Lisboa.

Os surtos de agentes patogénicos veiculados pelos alimentos constituem uma ameaça à escala global. Neste sentido, as autoridades nacionais e internacionais de saúde pública e segurança alimentar têm promovido o desenvolvimento e validação de novas abordagens na caracterização microbiana que fortaleçam a vigilância e investigação epidemiológica dos agentes patogénicos bacterianos alimentares, bem como a coordenação entre os setores envolvidos (Saúde Pública, Saúde Animal e Segurança Alimentar), no contexto de “Uma só Saúde”.

imagem do post do Instituto Ricardo Jorge participa em projeto que desenvolve plataforma para vigilância de surtos de agentes patogénicos alimentares