Instituto Ricardo Jorge participa em estudo europeu para avaliar exposição a mercúrio em mulheres grávidas

09-09-2021

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), através dos seus departamentos de Epidemiologia e de Alimentação e Nutrição, está a participar num estudo europeu que tem como objetivo avaliar a exposição a mercúrio em mulheres grávidas. Os dados obtidos com este trabalho permitirão apoiar as autoridades competentes na gestão segura de produtos químicos e na proteção da saúde humana na Europa.

Denominado HBM4EU-MOM, o projeto visa ainda estudar os hábitos de vida e necessidades de mulheres grávidas relativamente ao consumo de peixe em cinco países europeus (Chipre, Espanha, Grécia, Islândia e Portugal), na medida em que este consumo está também associado à presença de mercúrio, na forma de metilmercúrio. Com base nos resultados deste trabalho serão igualmente desenvolvidas recomendações específicas para o consumo de peixe durante a gravidez.

O projeto, que deverá estar concluído até ao final do ano, prevê a participação de 650 mulheres grávidas, sendo que em Portugal está previsto o recrutamento de cerca de 130 gestantes, que residam no país há três ou mais anos, com idades compreendidas entre os 18 e os 45 anos, que não tenham problemas de saúde diagnosticados e que se encontrem grávidas de um único filho. Às participantes será solicitado uma pequena amostra de cabelo para medição dos níveis de mercúrio e a resposta a um questionário sobre hábitos alimentares, estilos de vida e saúde.

“Ao participarem no projeto as mulheres não só vão ter a possibilidade de conhecer a sua exposição ao mercúrio, como também estarão a contribuir para a obtenção de dados a nível da população que poderão ter efeitos nas políticas de saúde e ambiente”, sublinha Sónia Namorado, investigadora do INSA e uma das coordenadoras do projeto a nível nacional. “A participação neste trabalho não implica qualquer risco físico e a segurança e confidencialidade dos dados recolhidos e dos resultados das análises está assegurada”, destaca ainda Ricardo Assunção, outro dos responsáveis pelo estudo.

O “HBM4EU-MOM” é desenvolvido no âmbito da Iniciativa Europeia de Biomonitorização Humana (HBM4EU), financiado através do Programa Horizonte 2020 da Comissão Europeia e dos governos nacionais dos países participantes. O HBM4EU é um consórcio europeu que tem por objetivo utilizar a biomonitorização humana para avaliar a exposição humana a substâncias químicas, com vista a uma melhor compreensão dos seus efeitos na saúde, bem como à melhoria da avaliação e gestão do risco associado à exposição a substâncias químicas.

O mercúrio encontra-se presente no meio ambiente e a população encontra-se geralmente exposta a baixas concentrações deste metal. A exposição crónica ao mercúrio está associada à ocorrência de alterações ao nível do sistema nervoso central, rins e fígado. Também podem ocorrer síndromes oftalmológicas ou dermatológicas, bem como alterações do sistema imunitário, da pressão sanguínea e da frequência cardíaca.

Para mais informações ou participar neste estudo clique aqui ou contacte a equipa coordenadora do projeto por telefone (967 138 844 | 967 138 822) ou através do seguinte email: hbm4eu-mom@insa.min-saude.pt.

HBM4EU-MOM: Informação às participantesHBM4EU-MOM: Informação sobre o projeto

imagem do post do Instituto Ricardo Jorge participa em estudo europeu para avaliar exposição a mercúrio em mulheres grávidas