Instituto Ricardo Jorge integra consórcio de Vigilância Nacional da Paralisia Cerebral

08-02-2019

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, através do seu Departamento de Epidemiologia, passou a integrar formalmente o consórcio do Programa de Vigilância Nacional da Paralisia Cerebral em Portugal, que tem como objetivo a monitorização e a investigação sobre paralisia cerebral, os seus determinantes e impactos. A assinatura pública de acordos entre os vários parceiros que integram este consórcio decorreu, dia 7 de fevereiro, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

No âmbito do acordo assinado, o Instituto Ricardo Jorge será responsável por apoiar nas componentes científica e logística as atividades de monitorização, observação, análise e divulgação de dados do Programa de Vigilância Nacional da Paralisia Cerebral (PVNPC), nomeadamente a elaboração periódica de relatórios, e por promover a colaboração com outros sistemas de vigilância.

O Instituto Ricardo Jorge será também responsável por propor linhas de observação e de vigilância, investigação, análise e desenvolvimento de instrumentos de classificação percecionados como úteis na perspetiva da paralisia cerebral em Saúde Pública, tendo-se comprometido ainda a dar visibilidade à atividade do PVNPC nas suas publicações e reuniões científicas, assim como colaborar em ações de divulgação e formação promovidas pelo Programa.

Após a assinatura dos acordos, foi apresentado o 4º relatório do PVNPC sob o tema “Paralisia Cerebral em Portugal no Século XXI – Indicadores Regionais”. A publicação apresenta como principais destaques a redução da taxa de incidência de paralisia cerebral, principalmente devido à redução do risco de paralisia cerebral nos prematuros nascidos com menos de 28 semanas, alguma heterogeneidade dos fatores de risco para a paralisia cerebral nas diferentes regiões do País, bem como de alguma morbilidade associada e, sobretudo, diferenças marcadas no acesso a meios técnicos específicos de avaliação funcional e de diagnóstico para crianças com paralisia cerebral.

O consórcio “Programa Vigilância Nacional da Paralisia Cerebral em Portugal” é constituído pela Federação das Associações Portuguesas de Paralisia Cerebral, pelas Sociedades Portuguesas de Pediatria, de Neuropediatria, e de Medicina Física e de Reabilitação, pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge e pelo Centro de Reabilitação de Paralisia Cerebral Calouste Gulbenkian da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. Este consórcio surge na sequência da criação, em 2005, do PVNPC.

Desde a sua criação, o PVNPC já recebeu a notificação de cerca de 2000 crianças com paralisia cerebral, nascidas a partir de 2001, recolhendo informação sobre as características do seu quadro clínico, dos fatores pré, peri e pós-neonatais potencialmente associados, bem como relativa às suas competências funcionais e morbilidade associada. A recolha sistemática destes dados de base populacional tem permitido obter um conhecimento consistente sobre as consequências a longo prazo de práticas de saúde efetuadas nos primeiros tempos de vida.

imagem do post do Instituto Ricardo Jorge integra consórcio de Vigilância Nacional da Paralisia Cerebral