INSA, DGS e INEM participam em projeto europeu para preparar resposta a futuras pandemias

11-02-2021

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), a Direção-Geral da Saúde (DGS) e o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) vão trabalhar num projeto europeu (PANDEM-2), que tem início este mês, com o objetivo de desenvolver processos e sistemas de informação para melhorar a preparação e resposta da União Europeia (UE) a futuras pandemias. As novas soluções vão permitir simular múltiplos cenários e respostas possíveis, bem como formar gestores pandémicos a uma escala nacional e europeia.

Por outro lado, as ferramentas desenvolvidas no âmbito do PANDEM-2 vão também permitir melhorar o planeamento e a gestão de recursos essenciais, como camas de internamento, equipamentos de proteção individual (EPI) e vacinas. Estas soluções permitirão uma resposta coerente e eficaz a uma próxima pandemia. Apesar da resposta robusta da UE à pandemia da COVID-19, há oportunidades de melhoria na análise de dados em tempo real, na partilha de informação entre os países e na adoção de políticas comuns e coerentes.

O aumento populacional, as viagens internacionais e os fatores ambientais aumentam a possibilidade de transmissão de doenças de animais para humanos. Perante estas ameaças, a UE, que é responsável por proteger a saúde e segurança dos cidadãos, pretende desenvolver soluções de partilha de informação e promover a adoção de políticas e abordagens conjuntas entre os Estados-membros e as Agências.

O papel do INSA e da DGS no projeto será principalmente na área dos sistemas de vigilância, do desenho da resposta pandémica e da formação e disseminação das soluções desenvolvidas. Caberá ao INEM participar nas diversas fases deste projeto, nomeadamente no planeamento, implementação, simulação e treino de algumas das ferramentas desenvolvidas, contribuindo desta forma para a otimização da preparação e resposta a eventos pandémicos futuros.

Liderado pela Universidade Nacional da Irlanda (Galway), o consórcio PANDEM reúne líderes europeus das áreas da saúde, segurança, defesa, microbiologia, comunicação, tecnologias da informação e gestão de emergência, assegurando que a ciência mais moderna serve os interesses da prestação de cuidados, do governo e da sociedade. Entre os membros do Advisory Board contam-se a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doença (ECDC).

O projeto PANDEM-2 evolui a partir das questões chave e lições aprendidas de outros projetos financiados pela UE, incluindo o PANDEM original. Com um financiamento total de 9.75 milhões de euros, através do programa Horizonte 2020 da União Europeia para a investigação e inovação, o PANDEM-2 terá a duração de 24 meses.

Foto: DR

imagem do post do INSA, DGS e INEM participam em projeto europeu para preparar resposta a futuras pandemias