HBM4EU: Grupo de trabalho sobre “tradução de resultados em políticas” reúne-se em Lisboa

12-04-2019

Cerca de 30 participantes do programa Europeu sobre Biomonitorização Humana (HBM4EU) estiveram reunidos, nos dias 8 e 9 de abril, no Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, em Lisboa, a convite de elementos do Departamento de Genética Humana, para discutir o progresso do trabalho realizado no âmbito do workpackage 5. Este grupo de trabalho visa a tradução dos resultados de biomonitorização humana (HBM) em políticas de saúde e/ou ambiente.

A reunião de Lisboa focou-se, essencialmente, no debate da forma como os dados de HBM, gerados neste projeto, poderão contribuir para refinar os processos de avaliação e gestão de risco de certas substâncias prioritárias e, assim, prevenir o seu impacto negativo na saúde. Foram ainda lançadas as bases para as atividades a desenvolver no próximo biénio, tendo em vista as metas a alcançar neste projeto.

O Instituto Ricardo Jorge participa no HBM4EU (European Human Biomonitoring Iniciative, 2017-2021) desde 2017, como signatário e gestor de projeto mandatado pela Direção-Geral da Saúde (DGS) e pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), a par com a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). Tem ainda como parceiro associado a Escola Superior de Tecnologia da Saúde (ESTeSL), estando a Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) associada à FCT.

Coordenado pela Agência Federal do Ambiente Alemã, o HBM4EU é um consórcio europeu que conta com a participação de 28 países, da Agência Europeia do Ambiente e da Comissão Europeia, financiado ao abrigo do programa europeu Horizonte 2020. Esta iniciativa tem por objetivo utilizar a HBM para avaliar a exposição humana a substâncias químicas na Europa, com vista a uma melhor compreensão dos seus efeitos na saúde bem como a melhoria da avaliação e gestão de risco das substâncias químicas.

O Instituto Ricardo Jorge está envolvido em 10 dos 16 workpackages que constituem o HBM4EU, através de investigadores e técnicos de quatro dos seus departamentos técnico-científicos (Genética Humana, Alimentação e Nutrição, Epidemiologia e Saúde Ambiental), desenvolvendo atividades relacionadas com avaliação de risco, aplicação de modelos toxicocinéticos, análise de biomarcadores de exposição e de efeito (incluindo o seu controlo de qualidade), exposição ocupacional, indicadores de impacto, gestão de dados, entre outras.

Os trabalhos do HBM4EU são operacionalizados nos vários países através da ação dos respetivos National Hubs. Em Portugal, o National Hub (NH-PT) é constituído pelo Instituto Ricardo Jorge, DGS, APA e FCT, em parceria com a FMUL e a ESTeSL. Segundo os coordenadores do projeto, o papel de Portugal tem sido reconhecido como de excelência, pela participação ativa em vários grupos de trabalho e projetos internos, organização de reuniões e contributo em publicações e relatórios.

O NH-PT organizou, em maio de 2018, nas instalações do Instituto Ricardo Jorge, em Lisboa, o Workshop em Biomonitorização Humana em Portugal, intitulado “Bridging Chemical Exposure to Human Health” e que contou com mais de 80 participantes de vários setores e grupos de interesse. Até ao final do ano, o NH-PT propõe-se realizar o 2º Workshop, com o objetivo de divulgar as atividades do projeto europeu e a sua aplicação à realidade nacional.

 

 

 

imagem do post do HBM4EU: Grupo de trabalho sobre “tradução de resultados em políticas” reúne-se em Lisboa