FEVEREIRO 2019

01-02-2019

Aparelho de eletroterapia. N.º de inventário: MS.03852.

Aparelho desenvolvido em 1875 por Charles Chardin (1850-1931), engenheiro-construtor de aparelhos elétricos com fins terapêuticos. Consiste numa caixa de bateria, de dezasseis elementos, a qual permitia a realização de tratamentos por galvanização, isto é, pelo uso de uma corrente elétrica contínua ou galvânica que, através de vários terminais de elétrodos, realizava descargas de baixa intensidade no corpo do paciente.

O método da eletroterapia conheceu forte expansão na comunidade médica do final do século XIX. Nesse contexto, e segundo Charles Chardin, as doenças consistiam em distúrbios da circulação sanguínea, os quais seriam tratados pela aplicação de eletricidade, adaptada à sensibilidade de cada paciente. Com base nesse pressuposto, e apesar de não ter formação médica, Chardin desenvolveu o método E.C.V. (eletro-cinético vascular) que consistia na aplicação de uma tensão entre as diferentes partes do corpo, atuando na circulação do sangue, da linfa e do protoplasma, curando, dessa forma, as doenças.

Com este método Chardin pressupunha conseguir a cura da paralisia e epilepsia, a reparação muscular após o exercício e o tratamento dos sintomas da gripe, da flatulência, da asma, da febre, das cólicas menstruais, dos tumores, dos cancros, da gangrena, da anemia, da obesidade, entre muitas outras enfermidades.

 

imagem do post do FEVEREIRO 2019