Estudo da Rede Médicos-Sentinela premiado em Encontro Nacional de Medicina Geral e Familiar

08-10-2020

O estudo “Evolução da Incidência de Diabetes 2016-2018 na Rede Médicos-Sentinela”, desenvolvido no âmbito da Rede Médicos-Sentinela, coordenada pelo Departamento de Epidemiologia do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), recebeu o prémio de melhor investigação no 37.º Encontro Nacional de Medicina Geral e Familiar, que decorreu dia 22 de setembro. O trabalho premiado teve como objetivo estimar a taxa de incidência anual de Diabetes mellitus entre 2016 e 2018.

Da autoria de Liliana Mendes (Unidade de Saúde Familiar de Tondela), Mafalda Sousa Uva (INSA) e Ana Paula Rodrigues (INSA), o estudo indica um aumento na taxa de incidência de diabetes tipo 2 em ambos os sexos, tendo variado entre 483/100 000 em 2016 e 572/100 000 em 2018. De acordo com as conclusões deste trabalho, o aumento foi mais notório nas mulheres e verificaram-se valores mais elevados de incidência no grupo etário dos 65 aos 74 anos.

O estudo agora apresentado no 37.º Encontro Nacional de Medicina Geral e Familiar dá continuidade a um trabalho realizado anterioremente pela mesma equipa de investigação do INSA, onde se observou um aumento de 4,3% na taxa de incidência de diabetes entre 1992 e 2015. “Trends in diabetes incidence from 1992 to 2015 and projections for 2024: A Portuguese General Practitioner’s Network study”, pode ser consultado aqui.

Criada em 1989, a Rede de Médicos-Sentinela é um sistema de observação e vigilância em saúde constituída por médicos de Medicina Geral e Familiar que voluntariamente participam na notificação dos eventos de saúde em estudo. Ao longo do tempo, destaca-se, por exemplo, o trabalho da Rede no âmbito da vigilância da gripe, assim como o trabalho desenvolvido na vigilância de doenças não transmissíveis como a diabetes mellitus e a hipertensão arterial.

imagem do post do Estudo da Rede Médicos-Sentinela premiado em Encontro Nacional de Medicina Geral e Familiar