DEZEMBRO 2018

03-12-2018

Folheto: SIDA. O que todos devem saber. N.º de inventário: MS.02338.

Folheto SIDA. O que todos devem saber, editado pelo Ministério da Saúde possivelmente no final da década de 1980 ou início dos anos 90, no âmbito de campanhas dedicadas à educação para a saúde. O folheto apresenta textos explicativos, dedicados aos seguintes temas: “O que é a Sida”; “Como se transmite o vírus”; “Como pode proteger-se”; “Não corre perigo”. Este desdobrável foi distribuído no território nacional com o objetivo de informar a população portuguesa sobre as vias de transmissão e os modos de prevenção da doença.

A necessidade de medidas de sensibilização da população mantém-se atual, se nos determos nos dados mais recentes sobre a infeção VIH e SIDA. Em Portugal, entre 1983 e 2017 foram diagnosticados 57.913 casos de infeção por VIH (vírus da imunodeficiência humana), dos quais 22.102 atingiram estádio de SIDA (síndrome de imunodeficiência adquirida). Pese embora as taxas de novos diagnósticos de infeção por VIH e de incidência de SIDA apresentarem uma tendência decrescente, o nosso país continua a deter das mais elevadas da União Europeia.

De acordo com o mais recente relatório do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (novembro de 2018) foram diagnosticados 1.068 novos casos de infeção por VIH no ano de 2017. A maioria registou-se em indivíduos do sexo masculino (72,0%) e a maior taxa de novos diagnósticos (24,8 casos/100 mil habitantes) observou-se no grupo etário dos 25-29 anos. O mesmo relatório aponta que “em 98,1% dos casos a transmissão ocorreu por via sexual […] e as infeções associadas ao consumo de drogas injetadas constituíram 1,8% dos novos diagnósticos em que é conhecida a via de transmissão”. No que concerne à transmissão por via sexual, 59,9% referem-se a relações heterossexuais e 38,3% a relações HSH (homens que fazem sexo com outros homens).

Neste contexto, a epidemia por VIH e SIDA constitui um grande desafio para a Saúde Pública no país. A educação para a redução de comportamentos de risco, as intervenções ao nível da prevenção e as estratégias de diagnóstico precoce serão fundamentais para o debelar da doença.

A escolha deste folheto está relacionada com o Dia Mundial de Luta Contra a Sida, que se assinala a 1 de dezembro.

 

imagem do post do DEZEMBRO 2018